BONUM FACERE PARVULUS

Do bom e velho Latim, DOM BONIFÁCIO PICCININI

Redação: Notícias da Baixada | 30/11/2020 - 11:23
Do bom e velho Latim, DOM BONIFÁCIO PICCININI

BONUM FACERE PARVULUS

Do bom e velho Latim, DOM BONIFÁCIO PICCININI traduziu para seu ministério episcopal:

" Fazer o Bem aos pequeninos".

Coube ao Chanceler da Arquidiocese de Cuiabá Pe. Afonso Barone Salles a incumbência da leitura da BULA PAPAL nomeando Dom Bonifácio Piccinini Arcebispo-Coadjutor da Arquidiocese de Cuiabá-MT em  1975. Como eu eq irrequieto, desde cedo fui nomeado turiferário das missas solenes na Catedral do Senhor Bom Jesus de Cuiabá.

Nunca fui muito afinado e sempre bastante disposto. Por isso, recebi essa ordem com alegria e disposição. Tinha algumas vantagens. Nosso uniforme da calça branca e camiseta branca. Como servíamos no altar, desviamos estar sempre impecáveis, com túnica limpa e bem passada. Padre Pedro Cometti, Vigário-Geral e Cerimoniário passava pito em todos. Morríamos de medo. Padre Pedro gostava de mim. Era sempre o primeiro a responder as perguntas sobre Bíblia e catecismo.


A partir de 1976 conheci dois sacerdotes maravilhosos: Pe. Mario Pellatiero e Pe. Silvio Sartori - esses padres nos ensinavam a cozinhas, plantar, colher e produzir. Produzíamos leite, verduras, mandioca, laranja, côco, abóboras, carne de gado, carne de porco e manga.
O Seminário Cristo Rei fornecia leite para as casas das Freiras, DASA, Mitra, e, até para Sadia.

Com 12 anos comecei dar aula de catecismo no oratório São Domingos Sávio, no Colégio São Gonçalo. Foi nessa época que passei acompanhar Dom Bonifácio nas capelas da periferia de Cuiabá e nas cidades próximas.

Sou testemunha de sua humildade e caridade cristã. Seu primeiro carro era uma Brasília branca. Parecia ter um jeito meio seco, mas, era apenas uma forma de disfarçar sua natural timidez. Acompanhei de perto a sucessão de Dom Orlando Chaves, do mesmo jeito de adolescente, naturalmente. Vai o carinho filial que tinha com Dom Orlando Chaves.

Após muitos anos, o reencontrei. Jamais esquecerei o dia 16 de julho de 1984, quando comunicou-me a dispensa de continuar com seminarista no Seminário Maior Regional Maria Mãe da Igreja. Dom Bonifácio foi bondoso comigo. Jamais esqueci seu ato. Sou grato ao seu gesto de continuar pagando minha faculdade e de Filosofia até o final de 1984. Nas idas e vindas da minha vida, nunca o esqueci. A nossa distância jamais afastou sua vida de minhas orações e gratidão. Que Maria Auxiliadora e Dom Bosco o recebam na santa glória do Pai.

Goiânia, 29 de novembro de 2020.


Sebastião Ferreira Leite - Mimoseano de Santo Antônio de Leverger



 

Fonte: Sebastião Ferreira Leite