EMPRESÁRIOS E SERVIDORES

Ex-policial chefia quadrilha de fraudes no DPVAT em Cuiabá

Redação: Notícias da Baixada | 07/10/2020 - 09:19
Ex-policial chefia quadrilha de fraudes no DPVAT em Cuiabá

Atualizada às 09h12 - A Operação Apate, deflagrada pelo Grupo de Atuação Especial contra o Crime Organizado (Gaeco), na manhã desta quarta-feira (7), em Cuiabá, desmantelou uma quadrilha especializada em fraudes no seguro DPVAT, concedido a pessoas que sofreram acidentes de trânsito. Segundo as investigações, o líder do grupo é um ex-policial militar que tem uma extensa ficha criminal.

 

Foram cumpridos 34 mandados judiciais, sendo 7 prisões preventivas, com duas ordens de colocação de tornozeleira eletrônica. O Gaeco identificou mais de 30 crimes de falsificações de documentos públicos e estelionatos, praticados pela organização criminosa somente em Cuiabá.

 

A quadrilha especializou-se em fraudes documentais sofisticadas, tais como: falsificações de documentos públicos de certidões de nascimento, casamento e óbito, de laudos de exames necroscópicos, boletins de ocorrências e outros documentos que instruíam os requerimentos indenizatórios, encaminhados à Seguradora Líder, responsável por conceder as indenizações.

 

Foram expedidos ainda mandados judiciais para bloqueio de contas dos investigados, sequestro judicial de imóveis e veículos utilizados pelos investigados.

 

O nome da Operação – “Apate” - é uma alusão à mitologia grega, segundo a qual Apate (em grego Ἀπάτη) era um espírito que personificava o engano, o dolo e a fraude. (Com informações da assessoria)

 

Atualizada às 8h36 - O Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco) deflagrou nesta quarta-feira (7) uma operação para desarticular um esquema de fraudes no Seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre (DPVAT) em Mato Grosso.  

 

Vários mandados de busca e apreensão são cumpridos neste momento em Cuiabá. Empresários e agentes públicos estariam envolvidos. Um empresário que reside em um condomínio de classe média alta, na região do Jardim Imperial, seria um dos alvos. 

Fonte: Gazetadigital