Notícias e Informações em tempo real dos municípios que compõem a região da Baixada Cuiabana
EM 2020

Ministro diz que eleição municipal pode ser dividida em dois dias ou ter 12 horas de duração

Barroso diz ser contra prorrogação de mandatos e adiar pleito para 2022 para coincidirem com eleições gerais

Redação: Notícias da Baixada | 22/05/2020 - 18:40
Ministro diz que eleição municipal pode ser dividida em dois dias ou ter 12 horas de duração

O ministro Luís Roberto Barroso, que assume a presidência do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) na próxima semana, disse nesta sexta-feira (22.05) que já está sendo realizado um estudo sobre a possibilidade de adiar as eleições.

Segundo ele, existe uma possibilidade de expandir o horário de votação para que dure 12 horas. Barroso afirmou que já teve uma conversa informal com o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), e com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), para tratar sobre as eleições, mas que o aprofundamentos das conversas será somente quando ele (Barroso) assumir o TSE.

Se for necessário o adiamento que ele seja pelo menor prazo possível. Nenhum de nós gostaríamos de sequer considerar a hipótese de prorrogação de mandatos. Todos somos contra essa ideia que circulou de fazer as eleições coincidirem em 2022. As eleições gerais e as municipais”, declarou o ministro em uma live promovida pelo jornal Valor Econômico.

Ele informou que até o próximo mês (junho) deve ser “batido martelo” sobre o adiamento das eleições, informando que existe estudo em andamento no TSE sobre o assunto como também o debate que está sendo promovido por deputados e senadores no Congresso. “Eu pedi um estudo para saber como que os outros países tem se comportado relativamente a manutenção ou cancelamento de eleições. Muitos países adiaram, alguns conseguiram realizar (Coreia do Sul). Pedi informações de como foi feito lá”, contou Barroso.

O ministro contou que uma das hipóteses para realizar as eleições municipais, sem que os eleitores corram risco de se contaminarem, é que o pleito eleitoral tenha dois dias de votação. “Porém, a um problema nisso que é o custo. As eleições envolvem alimentação de todos os mesários é de um convênio com o TSE que tem com as forças armadas para segurança das eleições. Eu pedi para fazer um cálculo destes gastos é ficaria em torno de R$ 180 milhões. É muito dinheiro em decorrência do problema fiscal e das dificuldades que o país está enfrentando. Talvez seja o caso de substituir essa ideia para um alongamento do dia da eleição.

A ideia de ir até às 20 horas e não às 17 horas como acontece, mas começando às 08h00. Seria 12 horas de votação. Essa é uma ideia. Isso não depende de lei e nós mesmos do TSE podemos regulamentar”, contou. Ele ainda falou sobre outra hipótese: “Podemos também votar por turno: mais idosos votando mais cedo e os mais jovens na hora do almoço, fazendo uma divisão mais ou menos assim”.

Fonte: VGnoticias