Notícias e Informações em tempo real dos municípios que compõem a região da Baixada Cuiabana
ATUALIZADA - 11:00HS

Servidor da prefeitura é preso pela PM por explosões na casa de auditora municipal

Redação: Notícias da Baixada | 17/05/2020 - 11:27
Servidor da prefeitura é preso pela PM por explosões na casa de auditora municipal

O servidor da Prefeitura de Santo Antônio do Leverger (a 52 km de Cuiabá), Rosiney Ricardo Bomdespacho da Silva, de 41 anos, foi preso em flagrante pela Polícia Militar, na madrugada deste sábado (16). Ele é suspeito de explodir duas bombas na casa da auditora municipal, Andréia Pereira de Arruda, 34. O homem foi localizado pelos militares nos arredores da residência da vítima, no momento do ato. Silva estava com o holerite dela na carteira.

A reportagem Etrou em contato com a vítima, que relatou a ocorrência do crime por dois dias seguidos. “A primeira foi na madrugada de quinta (14) para sexta (15). E a segunda vez na madrugada de sábado (16). No primeiro dia, achei que estavam explodindo para assustar os meus cachorros e tentar entrar na minha casa. Ontem, ocorreu de novo, e eu sai para ver. Foi quando encontrei uma guarnição da PM. Contei o que tinha acontecido. Em menos de 15 minutos eles voltaram me dizendo que tinham localizado o suspeito e se eu não queria representar contra ele. Decidi que iria à delegacia”, detalha.

De acordo com o boletim de ocorrência, o suspeito estava em uma moto CB 300 preta. Em ronda os militares acharam o homem saindo da casa da auditora, e logo em seguida, houve uma explosão aparentando ser de uma bomba.  Diante da situação, os policiais efetuaram a abordagem.

Ao ser questionado do motivo de ter soltado a bomba, o homem bastante nervoso negou a autoria. Porém, em conversa com a vítima, os policiais descobriram que no dia anterior, no mesmo horário, um outro artefato havia sido detonado próximo à janela do quarto da auditora. Além disso, ela relatou ter ouvido o barulho de uma moto saindo logo em seguida.

Após os relatos, os dois foram encaminhados à Central de Flagrantes para a confecção do BO. A Polícia Civil investiga o caso.

Andreia contou que ao saber quem era o suspeito foi um susto, uma vez que ele atuava junto aos gabinetes da prefeitura. “Tínhamos uma relação bem próxima. Até pedi aos policiais para questiona-lo sobre o motivo, mas não me deixaram. No entanto, durante o depoimento, ele falou que estava com meu holerite, pois eu tinha pedido a ele para conversar com um secretário e pedir um adiantamento. Algo que nunca aconteceu. Jamais pediria isso. Ele é um office-boy, caso precisasse de um adiantamento, eu mesma pediria”, contou.

 

Fonte: RDnews