Notícias e Informações em tempo real dos municípios que compõem a região da Baixada Cuiabana
CIDADES

Assembleia aprova projeto de lei que autoriza venda de bebidas alcoólicas em estádios de MT

Redação: Notícias da Baixada | 19/04/2020 - 14:59
Assembleia aprova projeto de lei que autoriza venda de bebidas alcoólicas em estádios de MT

O projeto de lei que trata de venda de bebidas alcoólicas nos estádios de futebol em Mato Grosso foi aprovada em primeira votação, na sessão via videoconferência de quarta-feira (15), na Assembleia Legislativa e deve voltar a plenário para votação final na próxima semana. 


A pauta foi apresentada pelo deputado Faissal Calil (PV), que modificou alguns parágrafos de um projeto já existente na Casa de Leis, de autoria do ex-deputado Walter Rabello, que faleceu em dezembro de 2014. 

Segundo Faissal,  esse trabalho de projetos sobre venda de bebida alcoólica em estádios de Mato Grosso ele trabalha nela desde o tempo em que era vereador.  "Em 2014, quando atuava como vereador pelo município de Cuiabá, adequamos (vereadores), via lei municipal, a legislação para atender a demanda da FIFA- que é a instituição mais rica do futebol e que permite o comércio de bebidas nas arenas durante os jogos da Copa do Mundo. Mas, infelizmente, o Ministério Público Estadual ficou em cima, os juizados também, e não estenderam a regulamentação à Federação Mato-grossense de Futebol [FMF]. Sempre fiz o uso da palavra aqui na Assembleia Legislativa de Mato Grosso e entendo que a regra é para todos", explicou o deputado. 

Também, o parlamentar informou que sete estados do Brasil estão liberados à venda de bebidas alcoólicas nos estabelecimentos de jogos de futebol. São eles: Goiás, Espírito Santo, Minas Gerais, Bahia, Rio Grande do Norte e Rio de Janeiro. 

"Não se justifica que o estado de Mato Grosso mantenha essa proibição. Nesse sentido, a venda de bebida nos estádios estimula a presença do torcedor, aumenta a arrecadação de tributos pelo Estado, aumenta a geração de emprego, e não guarda relação com o aumento da violência", concluiu. 

Fonte: OlharDireto